Português Italian English Spanish
Menu

MANIFESTAÇÕES DE APOIO A KATYANE LEITE MARCAM SESSÃO DA CÂMARA DE PEDREIRAS


Nesta quarta-feira (13), foi realizada a primeira sessão ordinária da Câmara Municipal de Pedreiras após o episódio de agressão envolvendo a vereadora Katyane Leite, foi marcada por protestos, ausência do vereador Emanuel Nascimento e foi suspensa antes do final.

A movimentação de entidades de apoio à vereadora Katyane Leite tomou conta da galeria. Várias pessoas seguravam placas fazendo referência à frase “Me compre um bode, vereadora”, proferida por Emanuel Nascimento segundos antes de arrancar por duas vezes o microfone das mãos de Katyane Leite.

Liderada pela historiadora Francinete Braga, da Liga das Mulheres, o grupo fez uma manifestação pacífica em favor de Katyane Leite, mas logo no primeiro momento da sessão o som da galeria não estava funcionando, o que causou um mal-estar logo resolvido pela equipe da Câmara Municipal.

Estiveram presentes apoiadores da vereadora Katyane Leite, a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos de Lima Campos, professora Marta; representantes da Secretaria da Mulher de Lima Campos e de outras entidades representativas daquela cidade; a vereadora Emileny, procuradora da Mulher da Câmara Municipal de Trizidela do Vale; a professora Ana Roberta, representante do Sindserp; Ingracia Maria, do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura Familiar de Pedreiras; Gisele, do Simproesemma; Magali Silva, da URE/Pedreiras; Eva, delegada sindical de Santa Cantídia e outros.

Nos trabalhos do legislativo, foi exposto a advertência escrita ao parlamentar pela sua atitude e também foi votada a criação da Comissão Especial de Ética para apurar fatos semelhantes que venham a ocorrer na Câmara Municipal de Pedreiras.

Justificando sua ausência, o vereador Emanuel Nascimento enviou ofício à Câmara Municipal constando que está muito abalado com a repercussão do episódio, o que tem afetado seu problema de hipertensão e que se ausentará por uns dias, se encontrando em Teresina (PI) para cuidar da saúde.

Na sua fala inicialmente, Katyane Leite se reportou aos ataques que vem sofrendo pelos seus pares, afirmando que após o episódio tem recebido a solidariedade e manifestações de apoio de todos os lugares, do Maranhão, do Brasil e até de outros países. “Neste momento não existe esquerda, nem direita, existe uma luta em prol do respeito à mulher, então agradeço a Deus, a minha família, aos amigos que me visitaram e aos milhares e milhares de manifestações de apoio vindo de todos os lugares do mundo. Aos políticos de diversos partidos, pois somos uma só bandeira, que irá combater a violência política de gênero”, ressaltou.

Após um intervalo, os trabalhos foram retomados com a palavra do Padre José Geraldo, convidado pela presidência do legislativo. O religioso fez uma explanação enaltecendo a atuação dos parlamentares e num tom apaziguador. Logo após, a presidente Marly Tavares questionou aos vereadores a possibilidade de suspensão da sessão devido a um problema elétrico no prédio, em que os aparelhos de ar condicionado tiveram que ser desligados e o calor estava muito forte, sendo decidido pelo interrompimento.

Através de mensagem, a vereadora Katyane Leite se posicionou sobre a sessão de hoje da seguinte forma. “Boa tarde! Infelizmente, hoje não pude utilizar a tribuna, pois a sessão foi suspensa antes do início do grande expediente. Mas, após a leitura da ata, pude deixar minha mensagem de agradecimento a todos que se solidarizaram comigo, sobretudo os amigos que compareceram à Câmara”.

 Busque no site
 Mais acessadas
 Siga-nos
...